comissários de bordo

Aeromoça e a maternidade

Aeromoça

Desde que a profissão de aeromoça surgiu em 1930 com Ellen Church, na companhia aérea Boeing Air Transport, muitas mulheres sonham em entrar no mundo da aviação.

Mas muitas dessas mulheres também sonham em ser mães ou já possuem filhos e teem receio de não poder ingressar na profissão por esse motivo e não há com o que o se preocupar!

aeromoça

Um pouco de história

Quando a profissão de aeromoça surgiu só eram aceitas mulheres jovens, bonitas, de saia, sem filhos e com o ar de frágil.

Frágil? Sim, pois elas eram o exemplo de quanto o avião eram seguros até mesmo para as pessoas com medo de voar.

Era lei que a mulher não fosse casada e sem filhos, viúvas eram aceitas desde que sem filhos a esperar por elas.

Tudo mudou com a chegada da Segunda Guerra Mundial onde enfermeiras foram convocadas e a imagem de frágil passou para uma pessoa elegante e com tudo sobre controle e o fato de terem filhos foi sendo deixado cada vez mais para trás.

Leia também: Aeromoça – salário bruto e remuneração extras

 

Aeromoça – Engravidei e agora?

Durante a gravidez

Ao descobrir que está grávida a aeromoça deve comunicar a companhia aérea para qual trabalha e deve ser afastada de qualquer escala, passando a receber o salário maternidade à partir desse momento e quando completar 9 meses de gestação passará a receber a licença maternidade.

A aeromoça pode voltar ao trabalho quando a criança completar 3 meses de vida, mas cada companhia tem suas normas e o prazo pode ser maior.

Whatsapp - CEAB

Volta ao trabalho parcial

Com a volta ao trabalho a aeromoça precisa confiar na pessoa que cuidará da criança para amenizar a dor de estar longe nos primeiros meses e saber tirar proveito da “escala mãe”.

A “escala mãe” garante que a profissional faça escalas curtas que permite estar em casa no final do dia e poder cuidar do filho/a.

Os direitos incluem uma folga a mais na semana e uma carga horária de voo limitada a 54 horas mensais.

Dependendo da companhia aérea a “escala mãe” pode permanecer até a criança completar 5 anos!

E ainda tem mais! Desde o comunicado de gravidez até a criança ter 6 meses de vida a aeromoça não pode ser demitida em hipótese alguma.

 

criança no avião

Aeromoça e a volta ao trabalho normal

Com as licenças e possíveis férias a cumprir a aeromoça pode ficar até um ano afastada da profissão e quando voltar totalmente ao trabalho é possível incluir os filhos (quando forem um pouco maiores) em pequenas viagens, passar a noite em um hotel, incluindo-o na sua vida e mostrando-se presente.

E quando estiver no trabalho e não puder entrar em contato é preciso manter-se calma pois nesse caso não tem como sair correndo do trabalho e ir para casa verificar o bebê.

Leia também: Curso Comissária De voo EAD

1 thought on “Aeromoça e a maternidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*

code