Trabalhar viajando, voando, conhecer novos lugares, entrar em contatos com novas pessoas e novas culturas e, sobretudo, ganhar um bom salário. Esses são alguns aspectos da carreira de comissário de bordo que atraem muita gente para essa profissão.

A expectativa para 2017 é que o mercado de transporte aéreo reaja e volte a crescer. Segundo a Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA), no ano que vem, o Brasil será o terceiro maior mercado aéreo do mundo, somente atrás de Estados Unidos e China. Já de acordo a Associação Brasileira de Empresas Aéreas (ABEAR), as projeções dão conta de que, até 2020, serão criados cerca de 660 mil novos empregos no setor de transporte aéreo no país, sendo que comissário de voo está entre os cargos mais requisitados.

Se você pensa em seguir a carreira de comissário de bordo e quer aproveitar este momento de perspectivas positivas, é hora de começar a se planejar para o ano que vem. Para isso, é essencial entender um pouco mais sobre a profissão e o que é necessário para se tornar um comissário antes de mergulhar de cabeça nessa ideia.

Verifique os Requisitos Básicos

Para ser comissário de voo não é necessário ter experiência prévia ou curso superior. Porém, uma série de pré-requisitos devem ser seguidos. O candidato precisa ser maior de 18 anos e ter ensino médio completo. Além disso, mulheres só podem optar por essa carreira se tiverem uma altura mínima de 1,58, enquanto que, para os homens, o mínimo é de 1,65.

Invista em Outros Idiomas

Embora também não seja uma exigência das companhias aéreas nacionais, a fluência na língua inglesa é um diferencial importante no momento da contratação. Já se você pensa em seguir uma carreira internacional, o inglês é obrigatório. Além disso, muitas empresas exigem que o candidato saiba falar a língua do país de origem da companhia. Então invista no estudo de idiomas para aumentar suas chances no mercado de trabalho.

Estude e Dedique-se

Para ser comissário de bordo é obrigatória a realização de um curso que seja homologado pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC). O curso tem duração mínima de 138 horas-aulas, o que leva de quatro a cinco meses.

Durante a formação, o candidato vai ter aulas sobre todos os conhecimentos teóricos e práticos exigidos e se acostumar à rotina e à disciplina da profissão, inclusive frequentando as aulas já com o uniforme de comissário.

Entre os temas abordados ao longo do curso estão meteorologia, segurança aérea, sistema de aviação civil brasileiro, legislação, sobrevivência na selva e no mar, primeiros socorros, combate ao fogo, atendimento ao público, entre outros. É um curso que exige  muita dedicação e estudos.

Prepare-se Bem

Após a conclusão do curso, é necessário realizar uma prova aplicada pela ANAC, para que se comprove o aprendizado dos conhecimentos exigidos. Se aprovado, você está autorizado a participar de processos seletivos nas empresas aéreas.

Como não exige formação e experiência, o mercado costuma receber bem e contratar com frequência os recém-formados. Porém, estar bem preparado é fundamental. Os processos de seleção são exigentes e passam por entrevista pessoal e exames médico e psicológico.

Após a admissão, ainda há um treinamento de 27 horas-aula para conhecer as aeronaves utilizadas pela empresa, mais 15 horas de estágio e, por fim, uma prova prática também aplicada pela ANAC. Se aprovado, você terá sua licença e poderá começar a trabalhar.

Importante: para trabalhar como comissário é necessário ter o Certificado Médico Aeronáutico (CMA), emitido após exames médicos realizados no HASP (Hospital da Aeronáutica).

O Que Faz Um Comissário?

Agora que você sabe o que é necessário para se tornar um comissário de bordo, é hora de entender um pouco sobre a rotina e as responsabilidades da profissão antes de tomar sua decisão.

O comissário de voo tem uma série de atribuições ao longo da viagem. Mais do que simplesmente ser o responsável pelo serviço de bordo, ele é um importante agente de segurança durante todo o trajeto, zelando pela bem da aeronave e de todos dentro dela.

Cabe ao comissário:

– receber passageiros e tripulação;

– encaminhá-los até sua poltrona;

– checar a correta posição das poltronas e o acomodamento das bagagens de mão;

– tirar dúvidas dos passageiros;

– passar instruções de segurança;

– distribuir os kits de alimentação e, quando for o caso, de pernoite;

– manter e transmitir tranquilidade e serenidade durante todo o voo, especialmente em casos de maior estresse, como em turbulências;

– atentar para quaisquer irregularidades na aeronave.

Por tudo isso, o comissário deve ser sempre educado e paciente, manter o autocontrole em situações de risco e passar segurança aos passageiros. Além disso, por lidar com o público, ele deve zelar pelo asseio pessoal e manter boa aparência, como cabelos bem cortados, unhas aparadas, barba bem feita, boa postura e uniforme sempre impecável. O comissário é a primeira pessoa que fará contato com o passageiro e é a cara e a imagem da companhia que ele representa.

Vale a Pena?

A vida de um comissário de voo é bastante variável, sempre dependente das escalas e das horas de voo que precisa cumprir. Apesar de não haver uma rotina bem definida, é perfeitamente possível conciliar a vida pessoal e profissional.

Muitas mulheres ficam na dúvida se é possível ter filhos e poder continuar trabalhando. Por lei, a mulher não pode voar durante a gestação, mas após o tempo de licença maternidade, existe a possibilidade de optar pela “escala mãe”, com horários de voos reduzidos. Essa escala também pode ser requerida por quem está fazendo ou deseja fazer um curso superior, por exemplo.

Os comissários têm direito a passagens grátis, além de ter a possibilidade de conhecer diversos lugares do mundo, já que, dependendo dos voos e da chave de programação, pode-se pernoitar no local antes de seguir viagem ao próximo destino. Além disso, o profissional tem direito a pelo menos oito dias de folga no mês.

A remuneração inicial média para comissários de voo fica em torno de R$ 2.500, podendo chegar a R$ 7.000, dependendo da companhia. Soma-se a isso adicionais por horas de voo e quilometragem, além de outros benefícios.

Agora que você sabe como se planejar para começar sua carreira de comissário de bordo em 2017, conheça o nosso Guia Completo da Profissão e conheça ainda mais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here