Dicionário do Comissário: As siglas que você precisa saber

0
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

A aviação comercial tem suas gírias e siglas. Se você chegou até aqui, pode significar que já ficou ‘boiando’ na conversa em alguma roda de amigos. Ou não quer ficar!

Para isso, criamos uma pequena lista com as principais gírias, jargões, termos e linguagem peculiares a funcionários e colaboradores nos serviços da aviação comercial brasileira. Dentro de um pequeno (mas explicativo) dicionário, vamos listar e descrever verbetes recorrentes e como entender melhor o vocabulário de quem vive da aviação.

Aprenda a linguagem área e fique mais conectado às pessoas da sua área de trabalho

Direto ao ponto: confira abaixo nosso glossário de terminologias, jargões, gírias da aviação comercial. Para sentir-se quase dentro da cabine de uma aeronave, chegou a hora da decoreba. Em ordem alfabética…

A1, A2, A3…: siglas para as diferentes funções de cada comissário de voo dentro do avião (por exemplo, o A2 é responsável pela entrada e saída de refeições e bebidas no avião.

Base: local da apresentação do tripulante, ou seja, aeroporto em que se iniciam as jornadas de trabalho.

Bin: compartimentos situados na parte superior das cabines, para guardar bagagens de passageiros.

Briefing: reunião dos tripulantes antes de cada voo para dar e receber instruções sobre procedimentos como segurança e serviço de bordo. CMA: ou Certificado Médico Aeronáutico, atesta que o tripulante se encontra fisicamente apto a exercer suas funções a bordo. Documento indispensável para a obtenção da licença de voo.

CEMAL: o Centro de Medicina Aeroespacial é onde se realizam os exames médicos de todo profissional da aviação civil.

CHT: ou Certificado de Habilitação Técnica, é um documento exigido para exercer função a bordo de determinada aeronave. Importante: o CHT é individual para cada aeronave que o tripulante for habilitado.

D.O.: ou Despacho Operacional, é o local de concentração da tripulação antes do voo. Em geral, são localizados nos aeroportos da base. Equipamento: tipo de aeronave em que você voa, ou referência a outra aeronave.

Escala: programação mensal do tripulante, como voos, reservas, sobreavisos e folgas daquele mês. ETA: do inglês “Estimated Time of Arrival”, significa horário de pouso de um voo.

ETD: do inglês “Estimated Time of Departure”, este significa horário de decolagem de um voo.

Finger: nome em inglês para a passarela operada mecanicamente que liga o portão de embarque à aeronave.

Galley: local de embarque e armazenamento de comida e bebidas a serem servidas durante o voo. Aqui também se encontram fornos, caixas de gelo, copos descartáveis e material do serviço de bordo.

Hora mundial UTC: do inglês “Universal Time Coordinated”, também é conhecido como tempo civil, o fuso horário de referência a partir do qual se calculam todas as outras zonas horárias do mundo.

Inativo: período de cerca de 24 horas em que o tripulante permanece em uma mesma cidade.

Jump Seat: assento retrátil usado para pouso e decolagem dos comissários. Geralmente localizados próximo às portas de saída e/ou às galleys.

Narrow-body: termo em inglês para aeronave com um corredor.

P.A.: ou “Passenger Address”, são os interfones pelos quais os tripulantes realizam os speeches e comunicam-se entre si na aeronave. Veja abaixo o jargão “Speech”.

Regulamentação: conjunto de leis que regula o exercício da profissão de aeronauta, relativo a limites de horas de jornada, limites de horas de voo, repouso e folgas.

Regulamentar: verbo para quando o tripulante ultrapassa os limites de horas de jornada ou de horas de voo.

Speech: texto falado para os passageiros em diversas situações dentro do avião.

Trolley: são os carros com rodas multidirecionais onde ficam acondicionadas as refeições e/ou bebidas que serão servidas aos passageiros.

Wide-body: termo em inglês para aeronaves com dois corredores.

 

Conclusão

A aviação já é algo extremamente desafiador, seja por conta das exigências da profissão, de suas regras e procedimentos e nível de segurança exigido. Entretanto, a linguagem, gírias e jargões usados no dia-a-dia da atividade são um caso à parte. Além de conectar e aproximar pessoas da carreira da aviação comercial, servem para facilitar a comunicação com os demais usuários do serviço de transporte aéreo.

Alguns jargões e gírias estão no nosso bom e velho português. Mas outros termos são em inglês, idioma oficialmente usado em todo mundo. Mas com este pequeno dicionário esperamos ter deixado, para você, um mundo ainda menor!

Comentários no Facebook

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×