Na Aviação, mais especificamente na Aviação Civil, uma das áreas mais importantes a se capacitar e treinar é a Gestão de Crises, que podem ocorrer dentro e fora do avião. Elas são de tipos e gravidades diversos e requerem rápida e satisfatória reação por parte da equipe responsável, tanto nos Aeroportos quanto nas Aeronaves.

Continuando a leitura, você terá informações importantes para entender o que é a Gestão de Crise a Bordo, em que tipos de caso se aplica e como funciona.

O que se entende por crise na Aviação?

O Mercado da Aviação é um dos mais propensos a situações de crise, principalmente porque suas operações sofrem influência direta de variáveis que não podem ser controladas, como o clima, a economia e até mesmo alterações governamentais ou diplomáticas.

O que se entende como crise nesse setor, compreende situações que podem ocorrer nas operações do dia a dia de aeroportos, companhias aéreas e aeronaves, que não foram programadas, entre elas:

  • ATRASOS NOS VOOS
  • CANCELAMENTOS DE VOOS
  • FECHAMENTO DE AEROPORTOS
  • QUEDAS DE SISTEMA
  • FALHAS MECÂNICAS
  • ACIDENTES

Essas situações pedem medidas urgentes, que atingem inúmeras funções do setor de aviação. E é por isso que existe essa área chamada Gestão ou Gerenciamento de Crises.

O que é o Gerenciamento ou Gestão de crises?

A Gestão de Crises é uma área de conhecimento e prática na aviação, que tem por principal função a manutenção das operações diárias em um aeroporto ou aeronave, lidando com situações imprevistas, de modo a causar o menor impacto possível para os clientes e as empresas envolvidos.

É necessária a elaboração de planos de ação que possam prever, de uma forma mais ampla, as mudanças bruscas na rotina de trabalho, com ações à altura para que as operações possam continuar com o mínimo de prejuízos.

Por exemplo, as Companhias Aéreas e os Aeroportos devem ter planos sobre o que fazer em caso de voos cancelados, ou um Comissário de Voo deve ter diretrizes sobre como agir com os passageiros em um atraso na decolagem, ou em uma situação mais crítica, como por exemplo, um incêndio durante o voo.

A Gestão de Crises a Bordo

Já mencionamos algumas situações que envolvem a gestão de crise por parte de aeroportos e companhias aéreas, mas a gestão de crise a bordo é uma tarefa que normalmente envolve os comissários de voo, ou seja, comissários de bordo e aeromoças.

QUE TIPO DE CRISE PODE ACONTECER A BORDO?

Você pode ter pensado em situações mais drásticas, como acidentes aéreos, que podem envolver a queda de um avião e a necessidade de sobreviver na selva. Mas embora os Comissários se preparem para essas situações, sendo a Sobrevivência na Selva inclusive uma das etapas do Curso de Comissário de Voo, esse tipo de situação é incrivelmente raro.

SABE QUAIS SÃO AS CHANCES DE UM ACIDENTE AÉREO?
Aproximadamente 1 a cada 3 Milhões de voos.

Ou seja, a imensa maioria dos Comissários de Voo jamais terão de passar por uma situação tão drástica em toda a sua carreira. Mas eles precisam estar preparados e essa é uma das situações onde se coloca em prática a Gestão de Crise a Bordo.

Normalmente a gestão de crise se aplica a situações mais cotidianas, como os mencionados atrasos e cancelamentos, uma turbulência mais forte que amedronte os passageiros ou até mesmo uma briga entre alguns deles.

Em toda situação de crise, o Comissário de Voo deve estar preparado para analisar o cenário que se apresenta, identificar os passageiros que possam ser afetados, compreender seus perfis, definir o procedimento a ser seguido e aplica-lo, mantendo uma boa comunicação com a tripulação e os passageiros durante todo o processo.

Entendeu agora o que é a Gestão de Crise a Bordo, para que serve e porque o comissário deve estar preparado?

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here