Início Outros

O que comissários precisam saber sobre o consumo de álcool no avião?

1663

Embora não seja permitido à tripulação ingerir bebidas alcoólicas durante o voo, essa restrição não se aplica aos passageiros. Graças a essa autorização, muitos passageiros acabam exagerando na bebida, como aqueles que têm fobia de avião ou medo de turbulência. Isso pode resultar em um passageiro exaltado, incomodando os outros e até mesmo colocando a aeronave em risco, e o é dever do comissário de voo conter essa situação.

Por isso, no post de hoje você vai aprender tudo o que precisa saber sobre o consumo de álcool no avião. Boa leitura!

Transporte de bebidas alcoólicas na bagagem

Todo comissário de voo deve saber quais são as regras para transporte de bebidas alcoólicas na bagagem. Embora sejam itens potencialmente perigosos, é possível transportar bebidas alcoólicas tanto na bagagem de mão quanto na bagagem despachada. A diferença fica nas regras estabelecidas para cada tipo de bagagem.

Bagagem de mão

No caso de voos domésticos, é possível carregar na bagagem de mão até 5 litros de bebidas alcoólicas com teor de até 70% de álcool. Cada volume pode ter, no máximo, 1 litro e todas as embalagens devem ser lacradas. Caso o lacre esteja violado, não é permitido o transporte na bagagem de mão.

Já em voos internacionais, as regras tendem a ser um pouco mais rígidas e também dependem do país de destino. A regra geral, entretanto, é de que só podem ser transportados fracos om 100 ml cada, num total de 1 litro.

Bagagem despachada

As bebidas que tenham entre 24 e 70% de teor alcoólico devem ser transportadas pela bagagem despachada com as mesmas regras da quantidade na bagagem de mão — ou seja, o limite é de 5 litros por pessoa. Bebidas com menos de 24% de teor alcoólico, como algumas cervejas, não têm restrição de volume a ser transportado, dependendo da companhia aérea. Geralmente, entretanto, o limite é de 12 litros por pessoa. As bebidas com mais de 70%, por sua vez, não podem ser transportadas nem mesmo na bagagem despachada.

A condição mais importante para o embarque de bebidas alcoólicas na bagagem despachada é a acomodação: o líquido deve estar isolado do restante do conteúdo, para o caso de quebra da embalagem.

Efeitos do consumo de álcool no avião

Também é fundamental que os comissários de voo saibam quais são os efeitos do consumo de álcool no avião, que, em decorrência da diminuição de ritmo do metabolismo causada pela pressurização e pela altitude, são diferentes dos efeitos em terra.  Devido a essa desaceleração, a mesma quantidade de álcool é capaz de causar um efeito muito mais intenso no organismo, levando à embriaguez mais rapidamente.

A diminuição da quantidade de oxigênio disponível por si só também leva a uma dificuldade de discernimento, o que se torna ainda mais potencializado com a ingestão de bebidas alcoólicas. O consumo reduzido de oxigênio também potencializa as alterações na coordenação motora e nos sentidos, a lentidão nos reflexos e as chances de vômitos. O ressecamento de mucosas e desidratação também podem ser consequências do consumo de bebidas alcoólicas em altitudes elevadas.

Associado a isso está o fato de que muitos passageiros passam por episódios de ansiedade ao embarcar em um avião. Embora exista a falsa sensação inicial de relaxamento ao consumir bebidas no avião, o resultado tende a ser um estado de muito mais agitação, inquietude, impaciência e irritabilidade.

Como lidar com passageiros que exageram na bebida

A possibilidade de se deparar com um passageiro que exagera na bebida e que causa transtornos para toda a tripulação e passageiros é grande, e por isso é importante saber como agir e como lidar com a situação da maneira mais eficiente possível.

Estar atento ao passageiro

Ao primeiro sinal de que alguém exagerou na bebida, é fundamental que o comissário de voo mantenha a atenção nesse passageiro, garantindo a segurança do voo. Esse ponto é fundamental porque devido à embriaguez ele pode causar algum tipo de confusão com outros passageiros ou se confundir na hora de utilizar o banheiro. É o caso, por exemplo, de um passageiro que ia da Polônia para a Irlanda e tentou abrir a porta do avião acreditando ser a do banheiro.

Manter a atenção no passageiro garante, portanto, que ele não cometa nenhuma atitude imprudente e que possa colocar os outros passageiros em risco.

Suspender o fornecimento de álcool

Caso o passageiro esteja consumindo as bebidas oferecidas pela companhia aérea, assim que forem notados sinais de embriaguez o comissário de voo deve suspender o fornecimento de álcool. Caso essa medida não seja tomada, a situação pode se agravar.

Investir em uma boa comunicação

Para conseguir manter a situação sob controle também é necessário investir em uma boa comunicação com o passageiro, oferecendo outras opções tais como comidas e lanches. Caso o passageiro esteja sendo indisciplinado — por exemplo, insistindo em não usar o cinto corretamente ou não desligar o aparelho celular —, é preciso orientá-lo sobre a necessidade de seguir as regras.

Nesses casos, o ideal é que o passageiro receba a comunicação em sua língua nativa, caso seja possível. Isso melhora a comunicação e faz com que ele se exalte menos.

Manter a calma

Para garantir que a situação não saia do controle, é fundamental que o comissário de voo mantenha a calma e tente todas as alternativas antes de tomar uma atitude mais drástica. Por isso, investir em uma comunicação mais paciente e pessoal ajuda a controlar a situação e manter os outros passageiros confortáveis.

Reter o passageiro

Caso a situação comece a se agravar, atitudes mais drásticas são necessárias, tal como a retenção do passageiro. Nesses casos, utiliza-se uma fita de imobilização que deve ser aplicada rapidamente para conter o passageiro e não deixar que a situação fuja do controle.

Desembarcar o passageiro

Como último recurso está o desembarque do passageiro, que deve ser feito, preferencialmente, na escala do voo mais próxima. Caso isso não seja possível, entretanto, será necessário solicitar um pouso de emergência para que o passageiro possa ser contido apropriadamente.

O consumo de álcool no avião pode gerar diversos transtornos pra a tripulação e para os outros passageiros. Para evitar situações potencialmente perigosas é fundamental que os comissários de voo saibam como lidar com passageiros que exageram na bebida. Em sua opinião, o que deve ser feito nessas situações? Comente com suas impressões sobre o assunto!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

cinco × um =