Uma das etapas de grande importância para quem está iniciando na carreira de comissário (a) de bordo de voo são os processos seletivos. Alguns já sonham em ingressar em determinada companhia aérea, outros, só querem passar para conhecer a profissão e adquirir experiência. Nos dois casos, o  principal, é termos em mente que só qualificação profissional não é suficiente.

Crescemos ouvindo que precisávamos fazer uma faculdade ou curso técnico e falar inglês para nos diferenciar no mercado. Porém, hoje, a realidade é outra! Com o abatimento dos preços das instituições superiores, além do, advento da internet que contribuiu muito com a democratização da educação e da informação. A qualificação de mão de obra é bem mais acessível, como consequência, mais pessoas se qualificam e mais concorrência teremos no mercado.

A verdade é que, hoje, temos bem mais oportunidades que antes, no entanto, estamos acostumados a ver o mercado como se vivêssemos nos tempos de nossos pais. É preciso questionar as mudanças e se adaptar, independente a profissão.

Ao pesquisarmos histórias de grandes profissionais e pessoas bem sucedidas, veremos fatores em comum: a persistência diante de vários nãos e, o melhor dessa situação, tentar enxergar o que precisa melhorar para conseguir o sim; a constância, a dedicação, como estabelecem prioridades e abdicam de muitas coisas. Pois não tem jeito, num processo seletivo é necessário uma avaliação prévia, em que o recrutador é você mesmo.

Visão de Mercado

Você estará sendo avaliado pelos profissionais de RH e, possivelmente, por um chefe de cabine. E a função deles, ali, é selecionar o mais apto e que se enquadre nas exigências da empresa. Ou seja, vão com um olhar crítico e clínico, com objetivo de eliminar mais, para ser assertivo, do que aprovar pessoas. Em suma, não são pessoas que são aprovadas, mas soluções de problemas, habilidades e competências. 

 Além disso, é preciso conhecer bastante o mercado de aviação: quais são suas necessidades? Quais tipos de profissionais são mais contratados e valorizados? Quais características possuem? Qual perfil de comissário (a) de bordo não consegue se colocar no mercado?

Antes de ir para o processo seletivo, buscou saber tudo sobre a companhia aérea? Quem são seus funcionários, diretores, como eles são? Hábitos? Preferências? Mentalidade? Com as redes sociais, como LinkedIn, é possível estudar o perfil de profissionais que a companhia contrata. E, acima de tudo, estudar os próprios valores da companhia como missão e visão, como busca atender os passageiros, suas políticas, regulamentos e quais os benefícios oferecem.

Futuro-comissário-pesquisando-o-mercado
Futuro comissário pesquisando o mercado

Você se vê como excelente comissário (a) de bordo?

A profissão de comissário (a) de bordo necessita só de conhecimento técnico ou são avaliadas outras inteligências? Como inteligência emocional, gestão de pessoas e raciocínio rápido? Características comportamentais e um perfil de personalidade são necessários, também, para ser um bom comissário (a) de bordo?

Pensemos: comissário (a) de bordo lida com pessoas e seus medos. Em alguns momentos, por mais raro que seja, ele precisa estar apto para situações limites e, mais ainda, passar segurança e conforto aos passageiros nesses momentos. São atividades que exigem, principalmente, mais disciplina de questões internas e autocontrole do que somente competência técnica. E, podemos ter certeza, essas questões serão avaliadas no processo seletivo.

Análise da comissário (a) de bordo concorrente

Você conhece bem seus concorrentes? As pessoas que buscam se colocar no mercado? Em grupos, nas redes sociais, é possível saber e fazer uma análise SWOT – analisar forças, fraquezas, oportunidades e ameaças -. Você se ver mais apto que eles? Qual é a maior diferença de quem está já é comissário (a) de bordo pra quem ainda está tentando ser? São questões que precisamos compreender.

Você entrega mais do que é exigido pela empresa? Em que você surpreenderia os recrutadores a ponto deles pensarem que não poderiam deixar de te contratar.

Redes Sociais

Em mundo cada vez mais conectado, suas redes sociais, também, fazem parte de sua apresentação pessoal e da sua postura. Por isso, é preciso ter cuidado com o que compartilha na rede social e com a imagem que passa aos que te veem pela primeira vez. Em suma, muitas empresas procuram os perfis de seus candidatos sendo mais uma forma de triagem para a seleção. Comissário de bordo (a) precisa ser educado, discreto e elegante. Portanto, cuide de sua rede social como se fosse seu cartão de visita, no final das contas, ela realmente é.

Enfim, esses são algumas questões que devemos levar em conta quando formos nos apresentar em um processo seletivo, ainda bem no início. Com as respostas, aprofunde o seu conhecimento e elabore estratégias e, consequentemente, estará já preparado ao se apresentar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here