Está certo que, hoje em dia, as passagens de avião nem sempre são baratas, mas alguns passageiros acreditam que o fato de pagá-las lhes dá direitos surreais dentro da aeronave, não é mesmo? Além disso, o estresse do voo e cansaço da viagem podem criar situações que, em terra, seriam inimagináveis, e normalmente sobra para a comissária de voo lidar com tudo isso.

Felizmente, tem como aprender a solucionar os probleminhas mais comuns com os passageiros no avião para que as aeromoças consigam resolver tudo de um jeito rápido e bem tranquilo. Quer ver? Continue lendo!

Dificuldades em encontrar o assento certo

Com a excitação da viagem, a conversa com os companheiros e a atenção à bagagem de mão, não é incomum que os passageiros cheguem à aeronave sem saber onde se sentar, causando um congestionamento no corredor e retardando a entrada de todos.

Para evitar que isso aconteça, o melhor é perguntar a cada um, logo depois de cumprimentá-los e dar as boas-vindas, se já sabe onde é seu assento. Assim, você já pode mostrar o lugar a eles rapidamente e agilizar o processo de embarque.

Passageiros barulhentos incomodando a todos

Se o barulhento for um adulto, a dica é sempre se dirigir a ele como se o estardalhaço não fosse intencional — pode ser que o passageiro não esteja percebendo que está incomodando; nesse caso, aproximar-se com uma atitude amigável é mais eficiente que já chegar de cara fechada.

Mesmo se o barulho for proposital, porque o passageiro está com raiva, por exemplo, existem algumas coisas que você pode fazer para lidar com a situação. Procure não franzir a testa nem mostrar sinais de irritação e fale com o passageiro com paciência e uma expressão neutra, se não conseguir esboçar um sorriso. Aproxime o seu rosto do dele, mantenha contato visual e tente não gesticular enquanto fala, a não ser que precise demonstrar alguma coisa.

Além disso, fale em um tom de voz mais baixo que o normal — isso vai mostrar ao passageiro imediatamente que ele está fazendo barulho — e evite usar “você”, que pode soar como uma acusação. No lugar disso, prefira “eu”. Diga “eu preciso que você fale mais baixo” em vez de “você está falando muito alto”.

Crianças chorando

Para quem não gosta muito dos baixinhos, lidar com o choro no voo pode parecer impossível, mas na verdade acalmar uma criança no avião é bem mais fácil que parece!

Se os pais autorizarem, leve o pequeno para dar uma volta pelo corredor. O passeio irá distrai-lo e parar o choro. Se isso não for possível, dê a ele um encarte com as instruções de segurança ou até um copo de isopor para se distrair — o importante é entretê-lo para conseguir o silêncio.

Desrespeito às normas de segurança

Todo mundo sabe que é preciso colocar o cinto quando o aviso se acende no avião, voltar a poltrona para a posição vertical e desligar os aparelhos eletrônicos no momento da decolagem e aterrissagem. Mas sempre tem algum teimoso que insiste em tirar fotos com o celular bem na hora em que o piloto liga as turbinas para subir ou continuar escutando música até que o avião pouse.

Além de revisar as normas antes da decolagem e passar pelos assentos antes de o avião descer ou subir para conferir se todo mundo entendeu direitinho, se algum passageiro insistir em ignorar as regras, converse com ele da mesma forma que faria com os passageiros barulhentos e, se necessário, peça ajuda ao comandante. Afinal, a atitude pode representar um risco para todos.

Cantadas e tratamento inadequado às aeromoças

Essa é uma situação gravíssima e muito delicada, por isso é preciso discrição para sair dela sem causar nenhuma confusão. As comissárias de voo não são obrigadas nem devem aceitar esse tipo de tratamento, mas, no momento em que acontecer, o ideal é não demonstrar nada para não alertar os outros passageiros. Imediatamente, fale em particular com o comandante. É ele quem deverá tomar as atitudes devidas, sem estardalhaço.

Lidar com situações chatas à bordo não é tão complicado assim. Com o treinamento e as atitudes certas, dá para evitar grandes problemas e contornar dificuldades rapidamente! Comente contando se você já presenciou alguma situação assim e aproveite para conferir nossas dicas para lidar com outra situação chata enfrentada pelas aeromoças: a distância da família.

3 COMENTÁRIOS

  1. […] Embora não seja permitido à tripulação ingerir bebidas alcoólicas durante o voo, essa restrição não se aplica aos passageiros. Graças a essa autorização, muitos passageiros acabam exagerando na bebida, como aqueles que têm fobia de avião ou medo de turbulência. Isso pode resultar em um passageiro exaltado, incomodando os outros e até mesmo colocando a aeronave em risco, e o é dever do comissário de voo conter essa situação. […]

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here