Duvidas Frequentes

Ter 18 anos completos, Ensino médio completo, Curso de Comissário de Bordo homologado pela ANAC, passar na rova da ANAC. Ao passar na prova estará habilitado para candidatar-se as vagas ofertadas pelas companhias aéreas.
 
Lei de regulamentação
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/lei/L13475.htm
Fazendo um curso homologado pela ANAC, dedicando-se as aulas, tirando todas as dúvidas você tem tudo para passar no curso e na prova da ANAC. Prepare um currículo ideal, siga as orientações de nossos artigos e encontrará uma oportunidade como os 95% de nossos alunos que já foram aprovados.
Não podemos garantir o emprego pois há diversos fatores que não cabe a nós como a prova final da ANAC, as vagas disponibilizadas pelas Companhias Aéreas e preencher seus requisitos.
CMA é o Certificado Médico Aeronáutico são os exames de saúde que determinam se você está apto(a) para trabalhar como Comissário(a) de Voo. Não é necessário ter o CMA para fazer o curso, mas é obrigatório ter no momento que se candidatar a uma vaga na empresa aérea.
Hoje já não existe um padrão tão rígido para a aparência dos comissários como era antigamente.
A altura costuma ficar entre 1,55m e 1,80m para mulheres e um pouco mais para homens, pois se o(a) comissário(a) for baixo(a) demais, não conseguirá alcançar os compartimentos superiores para guardar as bagagens. Se for alto(a) demais, baterá a cabeça no teto da aeronave e terá dificuldade para se locomover no galley.
Por ser um lugar pequeno, os comissários também não podem estar acima do peso, pois precisam se locomover nos corredores apertados sem dificuldades.
Cada companhia aérea faz as suas exigências quanto a aparência do comissário, porém, a grande maioria prefere que este profissional não possua tatuagens a mostra e tenha cabelos amarrados e barbas aparadas por questão de higiene, para evitar que caiam nos alimentos, por exemplo.
Sim, algumas cias aéreas permitem que familiares de seus funcionários façam viagens com algumas facilidades. Neste post, nós explicamos algumas das regras existentes em cada cia aérea.
A Azul Linhas Aéreas, por exemplo, permite que todos os seus funcionários ganhem passagens para os destinos que a companhia opera. Além disso, esse benefício é ilimitado para todos os colaboradores e seus dependentes diretos (filhos e cônjuges). É exigido apenas o pagamento da taxa de embarque e as reservas são feitas no regime Stand By.
O piso salarial no início de 2019, conforme estabelecido na convenção coletiva de trabalho do Sindicato Nacional dos Aeronautas, é de R$ 2.203,18.
Um comissário, além do piso, pode receber ainda: compensação orgânica, gratificação pela função de chefe de cabine, gratificação de senioridade (tempo de empresa), horas de reserva, horas de sobreaviso, repouso remunerado, horas de voo diurno, horas de voo noturno, horas de voo aos finais de semana e mais uma ajuda de custo para alimentação.
Se o(a) comissário(a) deseja crescer na carreira, uma segunda língua é fundamental, principalmente se ele ou ela pretende ingressar em uma linha executiva. O inglês é a língua padrão da aviação, portanto é requisito básico para qualquer profissional do ramo.
Aquele que domina o inglês e o espanhol tem chances muito maiores de crescer na carreira de comissário de voo. Vale a pena também saber a língua da companhia para a qual trabalha. Se trabalha para a Air France, por exemplo, é essencial que saiba falar francês.
Para seguir na carreira de comissário de voo não é necessário ter faculdade. Apenas o curso de formação na área já é o suficiente.
No entanto, o profissional que possui um curso de Tecnologia em Transporte Aéreo em seu currículo consegue muito mais oportunidades em sua carreira.
Uma das vantagens deste curso é que após os 06 (seis) primeiros meses o aluno já está habilitado a trabalhar em alguma companhia aérea como comissário, podendo continuar a estudar e, assim, ao final de dois anos, estará formado(a) e apto(a) a trabalhar em qualquer função dentro do setor aeronáutico.
O correto é o termo comissário de voo. No entanto, é comum vermos estes profissionais serem chamados de comissários de bordo ou o popular “aeromoça”. Este último é um termo mais informal e usado principalmente no Brasil e em Portugal para designar as mulheres que trabalham nesta profissão.
Em um post anterior citamos algumas vantagens da carreira de comissário de voo. Uma delas é justamente ligada à rotina, que é muito dinâmica e permite que o profissional não fique estagnado, podendo conhecer sempre novos lugares, pessoas e culturas.
O comissário está sempre viajando e o avião vira uma segunda casa. A sua mala passa a ser sua melhor amiga. É comum ver comissários acordando durante a madrugada, trabalhando em feriados e finais de semana. De fato, é uma rotina diferente do “padrão”.
Os comissários também têm direito a pelo menos 8 dias de folga no mês, sendo comum que as cias aéreas concedam mais que isso. Além disso, ao final de cada dia de trabalho o profissional tem direito a, no mínimo, 12 horas de repouso.
Ainda existem possibilidades de escalas casadas, para casais que trabalham juntos na mesma cia aérea possam ter sempre os mesmos horários de trabalho e folga. Tem também a opção de apenas folga casada, para que apenas os horários livres coincidam. Assim, durante o horário de trabalho cada um pode ir para um lugar diferente, mas na folga podem ficar juntos.
A carreira de comissário de voo possui uma rotina bem dinâmica e diferenciada, mas que pode ser ajustada para proporcionar o máximo de bem-estar para o profissional.