Notícias - Escola de Aviação Civil CEAB
escola de aviação, comissaria de voo, comissario de voo,comissaria de voo são paulo,curso de comissaria de bordo sp,comissaria de voo brasil,comissario de voo são paulo,comissario de bordo,curso de comissaria de bordo,comissario de bordo curso

TAP está a recrutar e vai ter a melhor comida portuguesa a bordo

Apertem os cintos e preparem-se para uma experiência única a bordo da TAP, de pés bem firmes no chão. O Mercado de Campo de Ourique não levantou voo, mas havia quem jurasse estar a viajar -- fosse pelos sabores apresentados pelos tripulantes da TAP fosse pelo ambiente criado para a apresentação das novas refeições que a companhia vai servir nos voos de médio curso.
Na sua missão de levar a imagem de Portugal cada vez mais longe -- que já deu várias distinções à companhia aérea portuguesa, a TAP apresentou hoje mais de 30 combinações diferentes de pratos feitos a partir de produtos frescos e de assinatura nacional, que vai começar a servir aos passageiros a partir de dia 28. As novas ementas incluem 315 mil delícias da pastelaria típica portuguesa, mais de 195 mil maçãs de origem nacional e cerca de meio milhão de queijos por mês, selecionados depois de ouvir clientes, tripulantes e colaboradores.
"A portugalidade da companhia é desde sempre uma realidade, mas a TAP tem vindo a enaltecer essa qualidade, de múltiplas formas, como por exemplo, através da carta de vinhos exclusivamente nacional. Agora, também na classe econômica dos voos do médio curso, a TAP quis elevar a experiência proporcionada aos seus passageiros. Trabalhamos com especialistas em nutrição e estruturamos novos menus adaptados à hora e duração do voo, com refeições mais completas e saborosas", explica a TAP.
Desta aposta são exemplo os croissants, pastéis de feijão e de grão, queijadas de cenoura e os emblemáticos pastéis de nata servidos ao pequeno-almoço na ponte aérea para Madrid, por exemplo, os queijos portugueses nos voos da tarde e os gelados no verão. Nos voos de média duração, como por exemplo Madeira, Açores, Norte de África ou Espanha, haverá combinações de fruta e vegetais, frutos secos, bolachas de cereais, queijos, grissinos com diferentes pastas, sandes e pastelaria portuguesa. E nos mais longos uma variedades de sandes, de pão de malte ou multicereais, com queijos variados, fiambre de aves, entre outros, acompanhadas de uma deliciosa pastelaria tradicional (ao pequeno-almoço, para destinos europeus), seis diferentes tipos de wraps, de frango ou atum, feitos com massa de tomate ou de espinafres, com recheio de cogumelos, ovo, beringela ou queijo (à tarde).


Mais pilotos para continuar a crescer

Aproveitando um momento feliz, Antonoaldo Neves revelou ainda outros passos que a TAP está a dar para o crescimento. Incluindo novas contratações. O objetivo é chegar a mais 300 pilotos até ao início do próximo ano, para responder ao aumento das rotas e aquisição de 71 novos aviões até 2025. Antonoaldo Neves explicou hoje a estratégia da TAP, que passa também por um upgrade à comida servida a bordo.
"A TAP está a recrutar 44 pilotos por mês e, pela primeira vez, até no exterior", disse o CEO da companhia portuguesa, acrescentando que esteve em Espanha na semana passada, em Inglaterra nesta semana e na semana que vem passará pelo Brasil, num processo "que não tem sido fácil" e para o qual tem sido preciso "trabalhar muito". O responsável explicou que nos primeiros três meses do programa já foi possível ir buscar 150 pilotos e que nos próximos "três/quatro meses" serão contratados mais 150 a 200. Otimista, garantiu que essa tendência é para manter. "É um processo que não para, porque a TAP vai continuar a crescer em torno de 10% ao ano."
Sobre a suspensão recente de rotas em Espanha, Antonoaldo Neves diz que a TAP preferiu "dar um passo atrás para dar dois para a frente". "Em vez de estar a operar numa situação difícil (...), preferimos suspender os voos e dar tempo ao nosso parceiro [a White] para fazer a reposição de pilotos da forma que é necessária."
Questionado sobre as relações laborais na TAP, Antonoaldo Neves destacou que em fevereiro foi conseguida "com um trabalho muito grande" a construção da paz social "por cinco anos", o que o deixa "muito satisfeito". "Temos um ambiente de contratos e acordos de empresa que nos permite não cancelar mais voos. A TAP não cancelou praticamente nenhum voo em julho, agosto, em setembro. Voltamos a ter um nível de cancelamento igual ou menos de 1% de cancelamento."


Combustíveis e programa de eficiência

Questionado sobre o aumento dos combustíveis e a forma como as novas subidas de preços podem ter impacto na operação da companhia aérea, o presidente da TAP referiu que "as companhias aéreas têm de ter capacidade para absorver esses choques". E isso passa por programas de eficiência como o que a companhia adotou: "Os novos aviões D320 (médio curso) consomem menos 20%. A melhor forma de enfrentar um novo aumento de combustível é trazendo aeronaves mais novas. A TAP fica mais forte e competitiva e dá passos firmes em relação ao crescimento sustentável." De acordo com os dados divulgados pela empresa no mês passado, a TAP registou um prejuízo de 90 milhões de euros no primeiro semestre, que compara com 54 milhões negativos do período homólogo, o que é atribuído em parte ao aumento do preço dos combustíveis.
"O primeiro semestre da companhia foi desafiador em função do forte aumento do preço dos combustíveis (mais 36%), pela volatilidade nas moedas dos principais mercados da TAP e por irregularidades operacionais. Gastos não-recorrentes totalizaram 40 milhões de euros e tal impacto negativo contribuiu para um resultado operacional de 47 milhões de euros negativos (face a um resultado operacional de 43 milhões de euros negativos em igual período do ano anterior)", referiu a TAP, em comunicado.
Sem estes itens não-recorrentes, "o resultado operacional teria sido 7 milhões de euros negativos (face a um resultado operacional recorrente de 59 milhões de euros negativos no primeiro semestre do ano anterior) e o prejuízo líquido teria sido 58 milhões de euros (face a prejuízo líquido de 67 milhões de euros em igual período de 2017) ", esclareceu.

Fonte: https://www.dn.pt/pais/interior/tap-esta-a-recrutar-44-pilotos-por-mes---presidente-executivo-999091