Notícias - Escola de Aviação Civil CEAB
escola de aviação, comissaria de voo, comissario de voo,comissaria de voo são paulo,curso de comissaria de bordo sp,comissaria de voo brasil,comissario de voo são paulo,comissario de bordo,curso de comissaria de bordo,comissario de bordo curso

United Airlines discute acordos de joint venture com três companhias aéreas na América Latina

A United Continental Holdings, terceira maior companhia aérea dos Estados Unidos, está analisando joint ventures com três companhias aéreas latino-americanas em um futuro próximo. O presidente da companhia, Scott Kirby, declarou em evento do setor nos EUA que, diante da instabilidade do mercado regional, é complicado definir uma data para os negócios. Os acordos estão sendo negociados com a colombiana Avianca , com a panamenha Copa Airlines e com a brasileira Azul. ““Eu acho que conseguiremos fazer (acordos) em um futuro não tão distante, mas é difícil prever o momento exato”, disse o executivo. “Toda a turbulência na América Latina torna as coisas mais complicadas.” 

No evento, Kirby acrescentou que as parcerias podem melhorar a conectividade entre os EUA e os mercados de aviação da América Latina e criar oportunidades de crescimento. No começo do mês, executivos da Azul afirmaram que a empresa estava conversando com a United sobre uma joint venture após a conclusão do acordo de céus abertos entre Brasil e Estados Unidos. Na ocasião, o presidente do conselho da Azul, David Neeleman, disse que a conclusão de um acordo desse tipo “leva tempo”.

Com relação ao negócio entre Boeing e Embraer, o presidente do BNDES, Dyogo Oliveira, disse a jornalistas, depois de um evento no banco, que o aval do governo ao acordo não está vinculado ao calendário eleitoral. “Não condiciono isso (o aval) a questões políticas... é um processo em andamento e terá seu tempo natural, sem envolver a política”, disse Oliveira. Pessoas próximas às discussões relatam que o governo brasileiro estaria retardando o aval da operação com receio de contestações por candidatos da oposição durante a campanha eleitoral. O anúncio da compra foi feito em julho e prevê que a Embraer tenha, na nova empresa, 20% do setor de aviões comerciais e mantenha o negócio de aeronaves militares e de defesa, bem como a produção de jatos executivos.

Fonte: https://www.lexisnexis.com.br/lexis360/noticias/1383/united-airlines-discute-acordos-de-joint-ventur