Início Artigos

7 dicas para comissários de voo lidarem com a distância da família

738

Quem precisa viajar muito – ou por períodos longos – sabe que não é fácil lidar com a distância da família. A concentração diminui, o humor despenca e às vezes fica difícil realizar as tarefas mais simples. Os comissários de voo fazem parte da categoria de trabalhadores que precisam fazer viagens constantes.

Então, é fundamental aprender a lidar com a saudade dos familiares para poder continuar produtivos mesmo quando o coração está apertado. Separamos algumas dicas preciosas para ajudar você nesta tarefa.

Conversar sempre

A distância é um incômodo para todas as partes envolvidas na situação (filhos, pais, companheiros). Quem fica pode sentir uma sensação de abandono e evitar a situação pode ser pior do que conversar abertamente.  Por isso, deixe o canal de comunicação aberto nos momentos junto para saber tudo: novidades, problemas, soluções e, inclusive, para saber ouvir as ansiedades de quem fica.

Deixar claro que a distância é temporária e necessária

Às vezes fica mais fácil pensar que quem está viajando a trabalho está se divertindo, enquanto quem está em casa fica com os problemas para resolver. Por isso é importante que você explique que as viagens fazem parte do seu trabalho e que são necessárias para a sua carreira. Às vezes é até bom falar – sem se fazer de coitado – dos longos períodos confinado, das correrias e das situações inusitadas para lembrar que trabalhar com viagens exige muita dedicação e não é apenas diversão.

Diminuir a distância da família

A tecnologia aqui é uma aliada poderosa. Há vinte ou trinta anos, ligações internacionais eram caríssimas e, muitas vezes, impossíveis. Hoje em dia, com um smartphone ou tablet e uma conexão com a internet é possível diminuir a distância da família ao vivo. Então, separe alguns minutinhos – pode ser até mesmo do aeroporto – para falar com a família e diminuir as distâncias.

Uma técnica que também ajuda a diminuir a distância da família quando o fuso horário dificulta é a troca de fotos e vídeos, cada um mostrando o que fez e o que sente. E dar dicas de surpresas agradáveis para quando voltarem a se ver.

Não se culpar

Esse é o seu trabalho e a sua carreira e se culpar por viajar é carregar um peso desnecessário nas costas a cada vez que vai trabalhar. Lembre-se de que é difícil e complicado, mas que é um tempo marcado – com início, meio e fim. Cada ida tem uma volta.

Desenvolver estratégias para lidar com a saudade

Existem pessoas que levam consigo pequenas lembranças – um pingente, uma foto – para matar as saudades. Desenvolva você também uma estratégia para lidar com a distância da família que seja de rápido acesso mesmo quando estiver durante longos voos ou passando a noite em um quarto de hotel.

É bom sempre carregar com você um pedacinho de casa para acessar lembranças do que te espera na volta para casa.

Fazer exercícios físicos

Exercitar-se é uma ótima para espantar qualquer desânimo. Libera endorfinas, uma substância presente no nosso cérebro que ajuda na sensação de felicidade. Arrume, sempre que possível, uma horinha para correr na esteira ou fazer atividades físicas (praticar um esporte outdoor ou indoor). Você verá que os resultados são inúmeros.

Fazer roteiros de atividades

Falamos antes sobre não se culpar. Se você vai passar um tempinho que seja num país diferente, que tal aproveitar para conhecer esse novo lugar? Pesquise e faça um roteiro com o tempo disponível para conhecer pontos turísticos, comidas diferentes e experiências novas.

Assim você garante bons papos na hora de matar saudades da família quando voltar para casa e podem planejar, juntos, uma viagem de férias para curtir esses roteiros!

Como você lida, ou lidaria, com a distância da família? Divida conosco nos comentários! E para sempre saber as novidades no nosso blog, não deixe de assinar a newsletter do CEAB!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

7 − três =